Impacto do Tubo Mata Bicudo sobre populações de bicudo nos refúgios no período de entressafra, 2008-09 e 2009-10

Ano da safra: 2009/10 | Autor: Lúcia Madalena Vivan

No Brasil, estima-se que a entomofauna associada à cultura do algodão inclui cerca de 259 espécies de insetos das quais 12 são consideradas pragas importantes juntamente com três espécies de ácaros fitófagos. Atualmente, o bicudo-do-algodoeiro é a praga de maior incidência na cultura do algodão e com maior potencial de dano. Os danos causados por este inseto são observados nos botões florais que se tornam amarelecidos após o dano, as brácteas se abrem e secam prematuramente e os botões florais caem no solo; botões florais atacados próximos à abertura permanecem fechados adquirindo o aspecto de balão. O objetivo do presente estudo foi comparar a população de bicudos antes da instalação de TMB nas áreas de refúgio durante a entressafranos anos de 2008/09 e 2009/10; e comparar o número de insetos coletados em armadilhas após a utilização de TMB nos dois anos. Conseguindo manejar as populações dos refúgios, diminuindo-as a pequenos níveis, haverá maior possibilidade de controle na época do inicio do cultivo e os danos econômicos durante o cultivo poderão ser evitados. No primeiro ano de estudo apopulação de bicudos apresentou redução nas áreas com instalação de TMB no período de entressafra, com população média de 1,8 bicudos/armadilha durante o período de 7 semanas, já a área sem a instalação de TMB apresentou população média de 5,4 bicudos/armadilha durante o mesmo período de avaliação.No segundo ano de estudo a destruição de soqueiras atrasou três meses em um talhão de algodão adensado de 150 há, neste talhão houve crescimento e produção de grande número de bicudos que migraram para os refúgios quando o alimento tornou-se escasso e a destruição de soqueira foi realizada. Apesar disso, observou-se redução da população de bicudos presente no período de pré-instalação de TMB sendo de 12,60 insetos, sendo inferior quando comparada a população presente no mesmo período no primeiro ano de avaliação que foi de 142,25 insetos. No entanto, devido a fatores como plantas de algodão vivas, rebrota de soqueiras e período mais chuvoso que favoreceram a permanência dos insetos nas áreas e que estes não migrassem para o refúgio fez com que no período de avaliação das armadilhas, antes do plantio de algodão, a população observada foi superior ao ano anterior, sendo de 3,6 insetos na média para o período de sete semanas de avaliação, quando comparada a população presente no primeiro ano com instalação de TMB. Este fato demonstra que a utilização do TMB durante o período da entressafra do algodoeiro auxilia na redução populacional do inseto nas capturas 60 dias antes do plantio em armadilhas com ferômonio e, consequentemente no cultivo seguinte. No entato, há necessidade de realizar os tratos culturais requeridos como destruição de soqueiras, colheita rápida em toda a área, porque sem a medidas complementares o manejo de entressafra poderá ficar prejudicado e não reduzir satisfatoriamente a população de bicudos.

Relacionadas

IMAmt - Instituto Mato-Grossense do Algodão
Rua Engenheiro Edgard Prado Arze, 1777 - Ed. Cloves Vettorato - 2 andar Quadra 03 - Setor A - Centro Político Administrativo
CEP: 78049-015 - Telefone: (65) 3624-1840
Cuiabá - Mato Grosso - Brasil