Flutuação populacional de Bemisia tabaci biótipo B (Homoptera: Aleyrodidae) no sistema produtivo com ênfase no algodoeiro no estado do Mato Grosso

Ano da safra: 2009/10 | Autor: Lúcia Madalena Vivan

A mosca branca Bemisia sp., descrita como B. tabaci e B. tabaci biótipo B (B. argentifolli) tem comprometido economicamente a cultura algodoeira apesar dos elevados níveis de tecnificação do Estado. Trata-se de um inseto polífago, com ampla gama de plantas hospedeiras, incluindo-se culturas de expressão econômica e plantas da vegetação espontânea. Atualmente no Brasil, pode-se destacar a importância econômica de B. tabaci biótipo B, para as culturas do algodoeiro, melão melancia, abóboras, feijão, batata, hortaliças, ornamentais e tomate. O manejo de B. tabaci biótipo B tem se tornado um grande desafio, pois sua dispersão entre as culturas, seu alto potencial reprodutivo, hábito polífago, a resistência a inseticidas e o seu comportamento de se alimentar e permanecer na parte abaxial das folhas dificulta seu controle. Em razão dos problemas causados pelos inseticidas no agroecossistema, como a contaminação do ambiente e a diminuição da população de inimigos naturais, métodos alternativos de controle de mosca branca vem sendo estudados. O manejo do sistema de cultivo é importante, pois atualmente ocorre uma oferta de alimento durante todo o ano. Durante o período de entressafra nos três anos de avaliação observou-se população, em plantas daninhas como guanxuma e altas populações de adultos e ninfas em plantas de mentrasto e joá de capote e ….., e confirmam que para controle de mosca branca é importante o manejo deste inseto no sistema de plantio. Nos ensaios com produto químicos os resultados mostraram que determinados produtos controlam a população de mosca branca, mas não oferecem um período residual satisfatório e muitas vezes há necessidade de produtos que controlam as ninfas, principalmente quando ocorre a colonização do inseto na cultura, esse fato foi observado para as culturas de soja e algodão. Na cultura do algodoeiro, no sistema de plantio adensado observou-se que o controle e o período residual foi inferior quando comparado com o sistema de plantio convencional. Assim, para mosca branca é importante controlar a população dentro do sistema de plantio e acabar com o cultivo de plantas altamente suscetíveis à praga na entressafra, que funcionam como “ponte biológica”, preferindo-se gramíneas como alternativa de rotação, por exemplo.

Relacionadas

IMAmt - Instituto Mato-Grossense do Algodão
Rua Engenheiro Edgard Prado Arze, 1777 - Ed. Cloves Vettorato - 2 andar Quadra 03 - Setor A - Centro Político Administrativo
CEP: 78049-015 - Telefone: (65) 3624-1840
Cuiabá - Mato Grosso - Brasil