Distribuição, transmissibilidade e controle de Fusarium oxysporum f.sp. vasinfectum em algodoeiro no estado do Mato Grosso.

Ano da safra: 2002/03 | Categoria: Fitopatologia

A murcha de Fusarium oxysporum f.sp. vasinfectum vem sendo considerada como a principal doença do algodoeiro nas principais áreas de produção nacional. No estado de Mato Grosso a doença foi relatada pela primeira vez, na safra 2002/2003.

O fungo pode ser transmitido e/ou transportado pelas sementes aumentando o risco de contaminação em áreas ainda isentas. Dessa forma, este trabalho foi conduzido com os objetivos de conhecer a distribuição geográfica de Fusarium oxysporum f.sp. vasinfectum em áreas de produção de sementes de algodoeiro no estado do Mato Grosso nas regiões Norte, Médio Norte, Sul e Centro Sul, por meio da coleta de amostra de solo e raízes em áreas com suspeita de infecção e posterior análise em laboratório, conhecer a transmissibilidade de Fusarium oxysporum f.sp. vasinfectum no processo semente-planta após a inoculação do fungo nas sementes com avaliação de sintomas aos 30 e 60 dias, avaliar o controle de Fusarium oxysporum f.sp. vasinfectum por meio do tratamento de sementes com fungicidas isolados e em misturas, avaliar o nível de susceptibilidade das variedades recomendadas para o cultivo no estado do Mato Grosso em ambiente controlado após a inoculação de Fusarium oxysporum f.sp. vasinfectum em plantas de algodoeiro mantidas em vasos de 5L e relacionar a associação de Fusarium oxysporum f.sp. vasinfectum com os nematóides Meloidogyne incognitaRotylenchulus reniformis e Pratylenchus brachyurus nas amostras positivas para Fusarium oxysporum f.sp. vasinfectum coletadas em campos de produção de sementes. Após as avaliações foi possível detectar a presença de focos de infecção da murcha de Fusarium nos municípios de Jaciara, Pedra Preta, Alto Garças, Campo Verde, Primavera do Leste e Novo São Joaquim.

Foi detectada transmissibilidade alta de Fusarium oxysporum f.sp. vasinfectum em sementes de todas as variedades avaliadas, assim como a reação de alta susceptibilidade ao patógeno foi verificada em todos os materiais testados com exceção do padrão IAC 22 e as variedades Sure Grow e BRS Cedro. Para o tratamento de sementes dos fungicidas Derosal + Euparen + Monceren (200 + 150 + 300 g ou mL/100 kg de sementes), Cercobin (150 mL/100 kg de sementes), Derosal Plus (300 mL/100 kg de sementes) e Tegran (200 mL/100 kg de sementes) foram eficientes no controle de Fusarium oxysporum f.sp. vasinfectum. Somente o nematóide das lesões radiculares Pratylenchus brachyurus foi detectado em todas as amostras positivas para Fusarium oxysporum f.sp. vasinfectum.

Relacionadas

IMAmt - Instituto Mato-Grossense do Algodão
Rua Engenheiro Edgard Prado Arze, 1777 - Ed. Cloves Vettorato - 2 andar Quadra 03 - Setor A - Centro Político Administrativo
CEP: 78049-015 - Telefone: (65) 3624-1840
Cuiabá - Mato Grosso - Brasil