Avaliação dos produtos SS3; EP6 e Bioinseto, aplicados via tratamento de sementes, no controle de pragas iniciais na cultura do algodão em sistema adensado.

Ano da safra: 2009/10 | Autor: D. Romano

O objetivo deste trabalho foi avaliar a performance dos produtos orgânicos SS3; EP6 e Bioinseto aplicados em diferentes doses via tratamento de sementes, comparando com os produtos Cruiser e Vitavax-Thiram, normalmente utilizados na cultura do algodão, no controle de pragas e doenças, em condições de campo e no sistema adensado de cultivo. O delineamento utilizado foi o de blocos ao acaso, com 7 tratamentos e 6 repetições, instalado no Campo Experimental de IMAmt em Primavera do Leste, MT. Os tratamentos e doses (l p.c./ha) foram: 1- Testemunha (sem inseticida); 2- Cruiser (0,6 l/ha); 3- Vitavax-thiram (0,2 l/ha); 4- Cruiser (0,6 l/ha) + Vitavax-thiram (0,2 l/ha); 5- SS3 (0,6 kg/ha) + EP6 (0,6 kg/ha) + Bioinseto (1 l/ha); 6- SS3 (1,2 kg/ha) + EP6 (1,2 kg/ha) + Bioinseto (2 l/ha); 7- SS3 (1,8 kg/ha) + EP6 (1,8 kg/ha) + Bioinseto (3 l/ha). Cada parcela constou de 9 m2. A aplicação foi realizada no dia da semeadura, utilizando-se um saco plástico para misturar a semente mais inseticida.Foram realizadas avaliações de eficiência dos tratamentos aos 15 e 21 dias após a emergência, quantificando-se as pragas em10 plantas por parcela. Pela análise dos resultados concluiu-se que o tratamento SS3; EP6 e Bioinseto, não diferiram da testemunha, bem como dos inseticidas padrões utilizados no IMAmt, na safra 2009/2010. Havia pouca condição de umidade no solo na ocasião do experimento, podendo haver comprometido a absorção dos produtos pelas plantas ou até mesmo na translocação dos mesmos dentro das plantas.

Relacionadas

IMAmt - Instituto Mato-Grossense do Algodão
Rua Engenheiro Edgard Prado Arze, 1777 - Ed. Cloves Vettorato - 2 andar Quadra 03 - Setor A - Centro Político Administrativo
CEP: 78049-015 - Telefone: (65) 3624-1840
Cuiabá - Mato Grosso - Brasil