Pesquisa e desenvolvimento da cultura do arroz e plantas de cobertura.

Ano da safra: 2009/10 | Autor: Erica Tiemi Mine

A diversificação do sistema de cultivo, empregando espécies com papel específico (formação de matéria orgânica, reciclagem de elementos lixiviados, fixação de nitrogênio, alelopatia etc) é uma chave para a sustentabilidade da agricultura nos cerrados. Portanto, foram avaliadas as plantas: Colza, Stylosantesspp., Amaranthus spp., Crotalaria spp., Centrosema (Centrosema pascuorum), com o objetivo de avaliar produtividade de grãos e biomassa para desenvolver tecnologias novas de interesse para os sistemas de cultivos do produtores de algodão do Mato Grosso, reunidos na AMPA. No cerrado, a produção de arroz de sequeiro foi tradicionalmente uma cultura de abertura de terras. À medida que a frente pioneira se estabiliza, a cultura do arroz tem que ser encarrada como uma planta entrando no sistema de cultura com soja, algodão, milho etc. O programa SEBOTA gerou vários materiais de qualidade e ampla adaptabilidade aos sistemas de plantio direto. O projeto visou principalmente avaliar variedades de arroz SEBOTA em uma rede de ensaios VCU no Mato Grosso, e iniciar a multiplicação das melhores linhas.

Relacionadas

IMAmt - Instituto Mato-Grossense do Algodão
Rua Engenheiro Edgard Prado Arze, 1777 - Ed. Cloves Vettorato - 2 andar Quadra 03 - Setor A - Centro Político Administrativo
CEP: 78049-015 - Telefone: (65) 3624-1840
Cuiabá - Mato Grosso - Brasil